12/03/18 Dicas e Guias # , , , , ,

Colaborador desmotivado pode contaminar uma equipe

Colaborador desmotivado pode contaminar uma equipe

Veja em nosso artigo como a má conduta de um funcionário pode afetar toda uma cultura organizacional!

Independentemente de sua idade você já deve ter ouvido que uma maçã podre tem o poder de contaminar todas as outras que estão a sua volta. Saiba que isso não é balela, mas sim verdade! É comprovado cientificamente que se um fruto estiver se decompondo ele influência no estado dos restantes. E a mesma regra é aplicada no mundo organizacional: uma única pessoa com hábitos ruins exerce mais influência que os funcionários bons, de acordo com os professores de escolas de negócios Stephen Dimmock da Nanyang Technological University (Cingapura) e William C. Gerken da University of Kentucky (EUA), em artigo publicado na Harvard Business Review.

Se você está no mercado de trabalho, com certeza já lidou com uma pessoa que está sempre desmotivada, reclamando de tudo e insatisfeita com todas as áreas de sua vida. E atribui a culpa sempre aos outros e à empresa. De acordo com os pesquisadores, um funcionário com essas atitudes tem mais poder de influência do que os que têm atitudes contrárias, como satisfação e otimismo constantes.

Segundo os pesquisadores “entre colegas de trabalho, é mais fácil aprender um comportamento ruim do que um bom. As consequências de um funcionário problemático vão além dos efeitos diretos de suas ações – comportamentos ruins de um podem influenciar negativamente os comportamentos dos outros e causar uma série de consequências paralelas”. Como desmotivação de uma equipe inteira.

Caso o empresário ou gestor não esteja atento a esse tipo de colaborador, todo o empenho do restante da equipe pode ir por água a baixo. Para comprovar o quanto esse cenário é real, Stephen Dimmock e William Gerken, averiguaram em uma determinada empresa de consultoria o poder de influência dos consultores que tinham “más condutas”. No ambiente de trabalho dessa organização os funcionários tinham como cultura trabalhar com colegas diferentes em cada mudança de projeto.  Ou seja, os colaboradores estavam em constante rotatividade, não tendo tempo de se “acostumar” com os hábitos dos colegas.

Para entender a dinâmica do trabalho desses funcionários, os pesquisadores pegaram as informações e começaram a analisar as conversas que eles tinham.

Descobriram que bastava um consultor financeiro ter uma má conduta (como se queixar de alguma situação) que os demais colegas de trabalho também começavam a ter a mesma atitude. Mesmo com a mudança constante de equipe.  Ou seja, esse tipo de atitude era aprendida rapidamente.

Quais os resultados da pesquisa?

Em linhas gerais, o resultado da pesquisa foi: 37% dos consultadores financeiros tiveram inclinação para uma má conduta. Ou seja, esse resultado mostra que agir de forma incorreta é um multiplicador social.

Mas observar somente como se dão os comportamentos similares entre os colegas de trabalho não explica o motivo pelo qual o contágio das ações acontece. Então, foi feita outra pesquisa para compreender melhor o fenômeno. Nessa nova parte da investigação, os pesquisadores perceberam que esse contágio acontece porque as pessoas tendem a “imitar” seus pares. Por exemplo, é mais fácil uma pessoa agir da mesma forma que um colega de trabalho com uma função semelhante à sua, do que como um líder que está em uma situação de “vantagem”. Porque nós, seres humanos, tendemos a repetir ações de pessoas pelas quais nos sentimos representadas.

 

Se liga nas dicas!

Se você não quer que a sua empresa passe por essas situações, fique atento a essas dicas:

– Tenha uma comunicação transparente e clara com os seus colaboradores. Não poupe tempo explicando o que é má conduta para a empresa.

– Procure ter essa comunicação por meio de meios informais. Para os pesquisadores, compreender como os colaboradores lidam com diferentes situações é importante para compreender como a cultura organizacional funciona sendo possível assim moldá-la.

– Valorize os bons funcionários, de forma que eles conseguirão agir como líderes indiretos e amenizar qualquer situação ruim que possíveis funcionários possam ter.

–  Analise constantemente a sua equipe!

Além disso, esteja sempre atento e presente em sua empresa! Um bom gestor está sempre estudando meios para que o clima organizacional de seu negócio seja agradável e produtivo.

E você? Já viu alguma situação similar em seu ambiente de trabalho? Venha compartilhar conosco! Participe do nosso café da manhã! Entre em contato conosco!

Entre em contato e conheça mais do nosso grupo!

contato@meepe.com.br

Posts recentes

Entre em contato e saiba como participar da Meepe Networking contato@meepe.com.br ou preencha abaixo:

no responses
05/03/18 Dicas e Guias # , , , ,

Os melhores filmes para empreendedores de sucesso!

Os melhores filmes para empreendedores de sucesso!

Quem não gosta de um bom filme com uma pipoquinha para passar o tempo? Ao falar de cinema estamos lidando com um dos mais diferentes tipos de expressão cultural da sociedade tecnológica e contemporânea. Desde o seu surgimento, as produções cinematográficas são utilizadas para fins educativos. Em que o receptor aprende com a mensagem que está sendo transmitida. No artigo dessa semana fizemos uma lista de filmes para que você, empreendedor, possa se inspirar nessa empreitada que é o mundo dos negócios!

Sabemos que ser empreendedor não é fácil. Muitos são os desafios. Pode ser a falta de apoio das pessoas mais próximas, a falta de recursos, a mudança de mercado etc. Seja qual for a sua situação, é comum ter dificuldades. Empresários do mundo inteiro passam por empecilhos. Até mesmo os que possuem hoje grandes patrimônios. Nas telinhas muitas são as histórias que retratam essa temática e nos inspiram.

Confira a lista abaixo e prepare a pipoca, porque a sessão promete!

Joy: o nome do sucesso

Lançado em janeiro de 2016, o filme dirigido por David O. Russell, conta a história de Joy Mangano, uma empreendedora americana criativa que desde cedo enfrentou diversos problemas familiares, principalmente no começo do seu negócio.  É uma inspiração para quem tem talento, mas nem sempre está em um ambiente tão favorável.

À procura da Felicidade

Se você está desanimado e sem rumo, esse filme é para você! Nessa inspiradora produção cinematográfica, o personagem Chris Gardner interpretado por Will Smith, enfrenta diversos problemas financeiros e familiares junto com seu filho de cinco anos. O que aprendemos com esse filme? A nunca desistir dos nossos sonhos, porque mesmo com dificuldades, como abandono de um cônjuge e problemas financeiros, é possível vencer barreiras com trabalho e persistência.

Jobs (2013)

Para os amantes e empreendedores da tecnologia, esse filme é uma boa pedida. O filme mostra como o empreendedor Steve Jobs conseguiu alcançar um grande patrimônio, procurando sempre ter paixão e ser o melhor em seu ramo de atuação. Mesmo apresentando comportamentos peculiares. A lição que podemos tirar do filme? Precisamos de motivações para conseguir prosseguir com nossos sonhos (mesmo que eles comecem em uma garagem sem muitas perspectivas).

Lobo de Wall Street (2014)

Com a brilhante atuação de Leonardo DiCaprio, essa produção mostra a história de Jordan Belfort, que se tornou milionário por meio do seu negócio – a corretora Stratton Oakmont. A obra apresenta como o empresário conseguiu alcançar todo o seu patrimônio mesmo sendo preso. O filme é um bom exemplo de como determinação pode levar ao topo e da importância de agir dentro das leis para ter um negócio sólido.

A Rede Social (2010)

Quem utiliza o Facebook muitas vezes não sabe como a história de seu idealizador – Mark Zuckerberg – pode nos ensinar sobre o mundo do empreendedorismo. Da ideia até o crescimento, o filme mostra todo o caminho que Mark passou para tornar o seu negócio um dos maiores empreendimentos do mundo.

Com esses filmes, vai ser impossível você não sair inspirado! Aproveite e pegue as melhores dicas para ser um grande empreendedor! E depois venha compartilhar tudo que você aprendeu em nosso café da manhã! Entre em contato!

Entre em contato e conheça mais do nosso grupo!

contato@meepe.com.br

Posts recentes

Entre em contato e saiba como participar da Meepe Networking contato@meepe.com.br ou preencha abaixo:

no responses
26/02/18 Dicas e Guias # , , , ,

Qual o momento de me reinventar e impulsionar minha carreira?

Qual o momento de me reinventar e impulsionar minha carreira?

Se sente confuso em relação a sua vida profissional? Não sabe se a sua empresa está no caminho certo? Saiba que esses questionamentos são comuns. Em determinados períodos de nossas vidas é normal nos questionarmos e nos reinventarmos. Ainda mais quando estamos em um ambiente de trabalho insatisfatório ou acabamos de passar por uma demissão. Veja em nosso artigo, como esse período pode ser benéfico para a nossa vida pessoal e profissional!

Independentemente da situação que você se encontra, está no ser humano uma vontade de mudar. Seja com a abertura de um empreendimento próprio, com uma especialização, com uma mudança de cargo etc.

Por exemplo, o artista plástico Marcello Passeri, de 51 anos, trabalhou durante anos em agências de publicidade, teve seu próprio negócio, muitos clientes e um bom retorno financeiro. No entanto, com o avanço da internet, o mercado mudou. Trabalhos que eram manuais passaram a ser digitais e o seu departamento deixou de existir da mesma forma.

Sem capital para acompanhar tais mudanças, o profissional “quebrou”. Com isso, surgiu a necessidade de se reinventar e de arriscar. Por intermédio do seu irmão arquiteto, acabou sendo contratado como líder de vendas de uma empresa de revestimentos. Onde trabalha também com a instalação de produtos – trabalho estético que domina devido aos anos na carreira publicitária.

 

“A gente às vezes toma alguns chutes fortes da vida, que nos fazem perceber que precisamos mudar. O meu primeiro ano nesta atual carreira foi bem difícil. É preciso estar predisposto a mudar e a aprender. Consigo me manter bem e hoje já posso elaborar um planejamento para o próximo ano, mas não tenho toda a segurança do mundo – e acho que nunca terei. O mundo muda rápido demais, vamos ter que viver prestando atenção e nos preparando para o caso de amanhã não existir mais o trabalho que fazemos hoje”, avalia Marcello.

 

Para a psicóloga e coach de carreira, Priscilla de Sá, é necessário analisar com racionalidade a natureza das nossas insatisfações. É preciso agir dessa maneira para que o profissional que está descontente saiba qual caminho deve seguir. Porque se a decisão for radical ela deve ser tomada não apenas pelas atuais circunstâncias, mas sim pela inquietude que vem há tempos.

 

“Você olha para o seu chefe e para o chefe do seu chefe e percebe que não quer ser como eles, não quer fazer o que eles fazem e levar a vida que eles levam. A pessoa que está nesta situação muitas vezes não tem mais orgulho da carreira ou mesmo da sua profissão. Ele vai ter que virar outro profissional”, afirma a psicóloga Priscilla.

 

No entanto, mesmo que você esteja certo de que precisa de uma mudança brusca de vida é necessário ter certos cuidados. A coach aconselha a ter calma e senso crítico no momento de fazer um novo planejamento de vida.

 

“Existe uma lista de o que não se pode fazer nessas horas. A primeira delas é jamais tomar uma decisão motivada por revanchismos. Muitas pessoas saem de uma empresa com raiva da organização, do chefe, do conselho. Esse lugar da mágoa é o pior em que se pode estar na hora de tomar uma decisão. Isso porque a nova realidade que esse profissional quer para a sua vida vai acabar nascendo de algo reativo, algo defensivo, e não de uma ação”, afirma.

 

O outro conselho da profissional é para as pessoas que tomam a decisão de abrir o seu próprio negócio. Para ela, motivações como não querer mais um chefe e flexibilidade de horário, são equivocadas. Pois, sendo o dono da empresa, você passará a ter vários “patrões“ (os clientes) – que muitas vezes não te permitirão descansar aos finais de semana. Além de ter que pensar bem mais nos outros.

Além disso, uma das formas eficazes para se reinventar no mercado é o networking. Porque é um meio de se trocar experiências, frequentar palestras, workshops etc. Para Priscilla, “o networking é uma poupança que fazemos, uma semente que se lança despretensiosamente e que em algum momento do futuro será útil”.

O Meepe é um bom exemplo de networking. Aqui o profissional tem a possibilidade de fazer contatos com pessoas comprometidas com o desenvolvimento de seus negócios e assim ganhar experiência de quem realmente entende do assunto! Venha tomar um café conosco e se reinvente!

Entre em contato e conheça mais do nosso grupo!

contato@meepe.com.br

Posts recentes

Entre em contato e saiba como participar da Meepe Networking contato@meepe.com.br ou preencha abaixo:

no responses
19/02/18 Dicas e Guias # , , , ,

Tipos de líderes: conheça o seu e aprimore o seu negócio!

Tipos de líderes: conheça o seu e aprimore o seu negócio!

No artigo dessa semana vamos falar de uma pessoa que, independentemente do seu cargo dentro de uma empresa, você já conheceu. O líder. Para alguns ele deve ter um perfil mais autoritário (que coloca ordem em meio ao caos), para outros deve ser parceiro. Saiba que existem os dois tipos de líderes e até mesmo com mais perfis. Se interessou? Venha conhecer cada um deles, descubra em qual você se enquadra e aprimore assim as suas qualidades!

Líder, palavra pequena, mas muito presente e necessária dentro de uma organização. Geralmente é aquele indivíduo que atua como um guia ou chefe de um grupo. Para que sua função seja efetiva é necessário que os demais colaboradores conheçam os seus atributos.  Veja agora os principais perfis de líderes existentes no mercado.

 

Autoritário

Popularmente conhecido como chefe, esse tipo de líder costuma ter uma postura mais centralizadora, inflexível e de certa forma individualista. Ou seja, é aquela pessoa que não fica escutando os anseios dos colaboradores para melhorar o ambiente de trabalho. Muito pelo contrário, esse tipo de líder é focado somentenos resultados. Por ter uma postura rígida, costuma prejudicar o clima organizacional, pelo medo que causa nas demais pessoas. Esse tipo de liderança já foi muito comum, no entanto, está cada vez mais ficando em desuso.

 

Especialista

É aquele líder que alcançou a posição por ter um grande conhecimento técnico da sua área de atuação. Por esse motivo consegue colaborar no dia a dia da operação para a solução dos problemas que existem. No entanto, às vezes, não tem as competências necessárias para conduzir uma equipe, como inteligência emocional, empatia, poder de persuasão etc.

 

Liberal

Esse tipo de líder está presente em equipes que têm certa “maturidade” e que não precisam de uma supervisão constante, porque as pessoas têm a capacidade de autogerenciamento. Por estar em um ambiente assim, esse profissional costuma delegar tarefas com mais facilidade e abre espaço para a inovação e o processo criativo dos colaboradores. Para não se tornar um líder pouco participativo e até mesmo negligente é preciso que conheça cada membro de sua equipe com profundidade.

 

Democrático

Esse perfil de liderança costuma estar em empresas que valorizam a gestão colaborativa. Em que as equipes têm voz nos processos decisórios. O líder então, costuma estimular constantemente seus colaboradores de forma que incentive o trabalho em equipe.

 

Meritocrático

A atuação desse líder se fundamenta na meritocracia. Isto é, utiliza constantemente metas e indicadores para incentivar o desempenho dos colaboradores. De forma que os melhores ganham reconhecimento e destaque. E os que ficam abaixo das expectativas começam a ser monitorados e orientados de forma diferente por esse gestor.

 

Carismático

Por apresentar algumas características como otimismo, humildade, dedicação, empatia e imparcialidade, costuma conquistar a sua equipe com facilidade. De modo que os colaboradores adotem a sua postura e passem a admirá-lo. Nesse tipo de liderança a equipe  costuma desempenhar suas funções sem  a necessidade do líder ficar insistindo.

E você? Qual o seu perfil? Quer aprimorá-lo? Ou ainda não descobriu? Nas nossas reuniões estamos constantemente discutindo como podemos melhorar a gestão de nossos negócios. Venha tomar um café da manhã conosco!

Entre em contato e conheça mais do nosso grupo!

contato@meepe.com.br

Posts recentes

Entre em contato e saiba como participar da Meepe Networking contato@meepe.com.br ou preencha abaixo:

no responses
12/02/18 Dicas e Guias # , , , ,

Perfil empreendedor: conheça o seu!

Perfil empreendedor: conheça o seu!

De acordo com o dicionário, empreendedor é aquele indivíduo que possui capacidade para idealizar projetos, negócios ou atividades. A pessoa que empreende é aquela que decide fazer algo difícil ou trabalhoso e sabe identificar as oportunidades e transformá-las em organizações lucrativas.

Como o Brasil é composto majoritariamente por pequenos negócios é comum termos em nosso país diferentes tipos de empresas e de empreendedores. Aquelas pessoas responsáveis por fazerem a economia crescer e atender às diferentes necessidades dos clientes- que estão cada vez mais exigentes.

Muitas pessoas utilizam as palavras empreendedor e empresário como sinônimos. Porém, há diferenças. Empresário é aquele que toma a seu cargo um empreendimento e gerencia os recursos de modo que seu negócio tenha lucro. Já o empreendedor é aquela pessoa inovadora, que tem uma maneira diferente de ver seu negócio, querendo transformar seus projetos em realidade. Não precisa abrir uma empresa para ser um empreendedor, basta ser inovador e contribuir com diferentes ideias em seu ambiente.

Veja nesse vídeo que separamos para você as 10 características presentes nos empreendedores:

Conheça em nosso artigo os diferentes tipos de empreendedores.

Por necessidade

É aquela pessoa que abre uma empresa porque precisa quitar suas dívidas e trabalhar. Normalmente é responsável por idealizar o negócio e mantê-lo em pé. No Brasil, grande parte dos empreendimentos nascem dessa forma. Ou seja, quando um trabalhador resolve empreender por conta própria para conseguir se manter.  De acordo com a legislação brasileira, uma empresa com um faturamento de até R$60 mil por ano, e que possui, no máximo, um empregado, já é considerado um empreendimento.

Digital

Quando falamos do empreendedor digital, estamos tratando do indivíduo que oferece seu produto ou serviço por meio da internet, com o objetivo de alcançar esse novo consumidor- o que se encontra na rede.

Por exemplo: o dono de um e-commerce de uma loja de cosméticos.

Hoje com a grande revolução tecnológica, lojas, profissionais liberais etc., estão utilizando a rede para empreenderem. Seja por meio de um bom site de vendas, links patrocinados em redes sociais, entre outros.

Social

Esse tipo de empreendedor é aquele que tem o objetivo de buscar soluções inovadoras para resolver problemas existentes na sociedade e assim torná-la melhor.

Exemplo: pessoas idealizadoras de empresas sociais.Diferente das ONGs, utilizam mecanismos de mercado, por meio de uma atividade lucrativa, para encontrar soluções para os problemas sociais.

Nato

É aquele que apresenta traços em sua personalidade que são recorrentes nos empreendedores. Seja por motivações próprias ou por influência familiar, como pais e avós que já possuem empresas.

Serial

É o indivíduo que tem as habilidades de criar e de identificar oportunidades para criar negócios. Normalmente, não administra todos os empreendimentos que idealiza, deixando para profissionais com experiência em gestão. Ou seja, seu foco é criar e desenvolver ideias.

E você em qual tipo de enquadra?  Descobriu? Quer compartilhar conosco? Venha tomar um café da manhã e amplie sua rede de contatos! Nós do Meepe, temos diferentes tipos de empreendedores que estão dispostos a fazerem negócios e desenvolverem a cidade! Junte-se a nós!

Entre em contato e conheça mais do nosso grupo!

contato@meepe.com.br

Posts recentes

Entre em contato e saiba como participar da Meepe Networking contato@meepe.com.br ou preencha abaixo:

no responses
05/02/18 Dicas e Guias # , , ,

Afinal o que é o Meepe Networking?

Afinal o que é o Meepe Networking?

O Meepe completou 1 ano! Conheça em nosso artigo como funciona esse grupo de networking que reúne empresários de Bauru e região!

Networking. Palavra originária do inglês que sugere a capacidade de estabelecer uma rede de contatos ou uma conexão com algo ou com alguém. Em que há um compartilhamento de informações e serviços entre pessoas ou grupos que possuem um interesse em comum (PORTAL SIGNIFICADOS).

Ao contrário do que muitos podem pensar não é uma ativista egoísta em que o indivíduo quer se aproveitar do outro. Muito pelo contrário, ambos saem ganhando.  Para Max Gehringer (famoso administrador e palestrante), networking é “uma questão de paciência e não urgência”, em que o resultado vem com o bom relacionamento.

Com o intuito de reunir empresários de Bauru e região para fechamento de novos negócios, nasceu na manhã da sexta-feira do dia 3 de fevereiro de 2017,o Meepe Networking!

Para Fernando Hideo, um dos diretores do grupo, o Meepe é de grande relevância para o mercado empresarial da cidade.

 

O empreendedorismo é um interessante caminho para o desenvolvimento econômico local já que as empresas são geradoras de empregos e consumidoras de produtos e serviços, beneficiando não só um indivíduo, mas toda uma comunidade. Neste contexto, o Meepe cria um ecossistema onde os empresários trocam referências de negócios, discutem formas de crescimento sustentável e muitos outros assuntos que agregam no cotidiano empresarial. Fazer parte de um grupo de networking é uma excelente maneira de vislumbrar novos formatos de negócios.

 

O grupo é composto por empreendedores que se reúnem todas às sextas-feiras às sete horas da manhã. Isso mesmo! Sete horas da manhã – horário que comprova que no Meepe não têm pessoas preguiçosas. Muito pelo contrário, há pessoas que acordam cedo para fazerem seus negócios crescerem e assim desenvolverem a cidade.

Devido ao grande sucesso, em outubro, tivemos que abrir um segundo grupo. Que se reúne às quartas-feiras também às 7 horas da manhã.

 

Atualmente o Meepe possui a seguinte estrutura:

– Membros: são as pessoas mais importantes do grupo. Têm a função de fazer negócios. Sem eles o Meepe não existe.

– Presidente: é um dos membros. Seu papel é conduzir o grupo. Há troca a cada seis meses (podendo ser renováveis para mais seis, caso seja o desejo dos integrantes e do presidente).

– Anfitrião: recebe os convidados, cobra e organiza as mensalidades dos membros (para participar do grupo o integrante paga um valor simbólico para a manutenção do café da manhã e do local de reuniões).

– Diretores: alinham estratégias para direcionar o grupo

– Comissão de ingresso: avalia as áreas de atuação dos possíveis membros para evitar conflito e respeitar a lei da exclusividade.

Lei de exclusividade – ao entrar no Meepe não há a entrada de outro integrante do mesmo segmento. Ou seja, não tem concorrência. Por exemplo, se você é dono de uma padaria ela será única dentro do grupo. A comissão de ingresso tem todo o cuidado para que não entre uma empresa de um ramo que já exista.

Quando o Networking é feito?

Como já falamos, networking não é uma atividade egoísta, mas sim, uma maneira de se fazer negócios em que todos saem ganhando. Uma das formas que o Meepe faz para que todos os membros se beneficiem é todos fecharem negócios. Para que isso aconteça, nós promovemos metodologias para que todos os integrantes se conheçam e possam indicar os negócios que estão no grupo.

 

Uma das nossas metodologias para a promoção das negociações é a troca de cartões na reunião. São três cartões:

Meepe to Meepe- o propósito é que o empresário vá em uma das empresas do grupo para conhecer bem o negócio de modo que possa indicá-lo depois para outras pessoas. Exemplo: uma nutricionista vai conhecer a academia do integrante do grupo. Indo até o local a profissional terá a oportunidade de saber mais do negócio e automaticamente poderá indicar para as pessoas do seu círculo social com mais propriedade. No dia da reunião ela oficializa esse encontro por meio do cartão.

Meepe Indication – a troca desse cartão é para formalizar uma indicação feita para algum dos membros do grupo. Por exemplo, um amigo te pede uma indicação de alguém que faça serviços de contabilidade. Automaticamente você indica para essa pessoa o profissional do Meepe. No dia da reunião você oficializa essa indicação por meio do cartão. Assim os diretores podem ter um maior controle dos negócios que estão sendo gerados.

Thanks Meepe – agradecimento ao membro pelo negócio fechado.

 

Outra forma do membro conhecer as empresas do grupo e assim poder indicar para sua rede de contatos é por meio do momento que os empreendedores têm para apresentarem seus negócios. Há dois momentos. O primeiro é quando todos os integrantes têm 30 segundos para falarem de suas empresas, explicando seu ramo de atuação, o que fazem e como o grupo pode ajudar. O segundo consiste em duas apresentações de oito minutos em que dois integrantes são escolhidos para falar com mais profundidade de suas empresas.

Essas metodologias estão dando certo? Bem, no ano de 2017 fechamos R$ 1.120.000,00 (um milhão centro e vinte mil reais em negócios). Como as empresas são de Bauru e região, esse dinheiro contribuiu com o desenvolvimento da cidade!

Quer ver se funciona? Venha tomar um café da manhã! Entre em contato conosco!

Entre em contato e conheça mais do nosso grupo!

contato@meepe.com.br

Posts recentes

Entre em contato e saiba como participar da Meepe Networking contato@meepe.com.br ou preencha abaixo:

no responses
29/01/18 Pequenos Negócios # , , ,

Meepe Networking: estímulo ao desenvolvimento local

Meepe Networking: estímulo ao desenvolvimento local

Você já deve ter pensado que ao consumir ou adquirir um produto/serviço de uma empresa o retorno do seu investimento será revertido somente para o proprietário do negócio. No entanto, o cenário é outro. Por vivermos em sociedade, uma simples atitude - como a compra de uma mercadoria- altera a dinâmica econômica e social. Em nosso artigo, vamos mostrar como isso ocorre! Você sabia que ao consumir do pequeno empreendimento do seu bairro a comunidade inteira sai ganhando?

Pense no seu trajeto diário. Acordar, levar os filhos para a escola, ir para o trabalho, almoçar, ir ao médico etc. Em todo o seu percurso provavelmente você teve contato com inúmeros comércios. Como padarias, marmitarias, docerias, centros automotivos, lojas de roupas, dentre outros. Já percebeu que em sua maioria esses empreendimentos são de pequeno a médio porte e que eles ajudam e muito no momento em que estamos com pressa e não podemos perder tempo com grandes deslocamentos?

No Brasil, uma das principais características das nossas empresas é o fato delas serem pequenas e presentes na comunidade em que estão inseridas. Com isso, surge o conceito de desenvolvimento local. Esses negócios acabam tendo uma função social – que os especialistas chamam de desenvolvimento local.

Segundo a especialista Elizete Rangel, desenvolvimento local é quando o cidadão tem uma vida digna. Com acesso aos direitos civis, à educação de qualidade e à oportunidades de trabalho e renda. A experiência em diversos territórios no Brasil e no mundo demonstra que essas conquistas não ocorrem em curto prazo. Elas são construídas no âmbito de um amplo processo de melhoria contínua da qualidade de vida de um território pelos moradores.

 

E o que esse conceito tem haver com o mundo empresarial?

Tudo! Como o desenvolvimento local prevê a melhoria na qualidade de vida dos cidadãos, uma empresa influencia e muito nisso. Primeiro porque os pequenos e médio negócios representam 98% das empresas brasileiras, responde por 27% do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e riquezas produzidos em um país) e por 52% do total de empregos com carteira assinada. Ou seja, uma das grandes responsáveis por movimentar a economia e gerar empregos. Principalmente por absorver a mão de obra mais facilmente dos profissionais e trabalhadores que o mercado embaraça a recolocação. Por exemplo, as pessoas que possuem mais de 40 ou 50 anos, ou até mesmo aquelas com pouca qualificação profissional e com dificuldade para conseguir o primeiro emprego etc.

Além disso, o gerente de atendimento do Sebrae – Enio Pinto, destaca outra vantagem desse tipo de empreendimento.

 

“Com o pequeno, você tem a possibilidade de fazer uma compra mais customizada”. “Os donos dos pequenos negócios chamam você pelo nome, conhecem seus hábitos de consumo. A possibilidade de trazer satisfação é maior do que a das grandes corporações, porque os pequenos estão inseridos no dia a dia do bairro”, afirma.

 

Seguindo esse mesmo discurso, José Eugênio Vieira, Superintendente do Sebrae do Espírito Santo, comenta que comprar do pequeno comerciante significa valorizar aquele estabelecimento que já faz parte do seu dia a dia. Seja a padaria que você toma café todos os dias ou aquela mercearia que começou com o mínimo de produtos, mas hoje já se expandiu e se tornou o mercado do bairro.

Campanha SEBRAE

Em 2015, O Sebrae (órgão responsável por auxiliar os pequenos empreendedores em seus negócios), realizou uma campanha de incentivo aos consumidores para priorizarem produtos e serviços de pequenos negócios. As justificativas utilizadas na campanha, foram:

  • 1 – Comodidade – por ser perto de casa facilita a vida do cidadão moderno
  • 2 – Economia- o dinheiro do comércio local fica no bairro
  • 3 – Social- o pequeno negócio desenvolve a comunidade

 

Ou seja, o desenvolvimento é de todos- desde do proprietário até o consumidor final. Aprenda um pouco no vídeo desenvolvido pelo Sebrae:

O Meepe acredita muito na importância das empresas para o estímulo do desenvolvimento local. Somos um grupo de networking, composto por pequenos e microempreendedores de empresários de Bauru e região para fazerem seus negócios crescerem e desenvolverem a cidade, trazendo todas essas vantagens que discutimos ao longo desse artigo.

Se você se interessa pelo mundo dos pequenos negócios continue acompanhando a nossa página e venha nos conhecer!

Entre em contato e conheça mais do nosso grupo!

contato@meepe.com.br

Posts recentes

Entre em contato e saiba como participar da Meepe Networking contato@meepe.com.br ou preencha abaixo:

no responses
04/09/17 Dicas e Guias # , , , , , , , , ,

Fator determinante na compra de um produto

Fator determinante na compra de um produto

fator compra linkedin

Com o aumento da concorrência, cada vez mais empresas estão se esforçando para se destacar perante o seu público e fidelizar os seus negócios. Eber Moscheto, com grande experiência de mercado compartilha algumas dicas de como podemos utilizar os fatores determinantes de compra para alavancar os negócios.

No mercado atual, tem sido primordial conhecer, estudar e monitorar o comportamento dos consumidores. Geralmente, essa preocupação vem dos profissionais de marketing e dos gestores empresariais que procuram identificar as oportunidades e ameaças aos seus negócios com a possível insatisfação ou recua de seus clientes.

Por meio da análise minuciosa dos diferentes comportamentos dos consumidores, é possível planejar as estratégias mais adequadas ao divulgar um produto ou serviço. São muitos os fatores que influenciam no comportamento dos consumidores e é necessário saber utilizar as mesmas para motivar, encantar e até fidelizar os clientes de forma a aumentar a lucratividade no orçamento empresarial e o ápice da satisfação por meio dos consumidores.

Fator cultural – o fator cultural é visto como a personalidade de uma pessoa ou grupo. Como aprendizados, valores, percepções e preferências. Assim, ter a compreensão das diversas culturas de uma sociedade, ajuda os gestores a prever a aceitação dos seus produtos/serviços pelo consumidor. Melhorando a eficácia das vendas e a ascensão de produtos no mercado.

Fator Social – Determinados fatores, como os grupos de referência, família, amigos, papéis sociais e status, exercem alto grau de influência sobre as pessoas.

Uma pessoa participa de muitos grupos e a posição dessa pessoa em cada grupo pode ser definida em termos de papéis e status. Dependendo da atividade que uma pessoa possui ou desenvolva ela possui mais status que outras, sendo assim as pessoas escolhem produtos que comunicam seus papéis e status na sociedade.

Fator pessoal – Os desejos dos consumidores e a capacidade de satisfazê-los se alteram conforme as influências. Dessa forma, cada consumidor reage de forma diferente com estímulos idênticos. Isto é, pessoas de uma mesma classe social e ocupação, por exemplo, podem ter tipos de consumo diferentes.

Fator psicológico – a compreensão sobre o comportamento humano se faz por meio do diagnóstico de suas necessidades que surgem de estados de tensão psicológicos, como necessidades de reconhecimento, valor ou integração. Um motivo é uma necessidade que é suficientemente importante para levar a pessoa a agir, a maneira como ela age é influenciada pela percepção que ela tem da situação.

Motivação – constitui-se como uma força interior que se modifica a cada momento durante toda a vida, onde direciona e intensifica os objetivos de um indivíduo. Dessa forma, quando dizemos que a motivação é algo interior, ou seja, que está dentro de cada pessoa de forma particular erramos em dizer que alguém nos motiva ou desmotiva, pois ninguém é capaz de fazê-lo. No momento de comprar algo, o consumidor precisa estar motivado a adquirir o produto ou serviço.

Ao realizar um planejamento de venda para o seu negócio, pense sobre esses fatores determinantes! Não perca tempo e se destaque sobre a concorrência! Para saber mais sobre o assunto continue acompanhando a nossa página!

E você? Gostou do artigo? Se interessa por esse tema?

Continue acompanhando a nossa página!

Gostou do artigo? Continue acompanhando a nossa página que sempre estamos compartilhando conteúdos pertinentes para a sua vida profissional!

#MeepeNetworking #networkingbauru #meepe #rededecontatos #empresários #redes #redessociais #estratégias #empreendedorismo #negócios #startup #inovação

Entre em contato
e saiba como participar da Meepe Networking
contato@meepe.com.br

Entre em contato
e saiba como participar da Meepe Networking
contato@meepe.com.br ou preencha abaixo:

no responses
04/08/17 Dicas e Guias , Palestras , Palestras Convidados # , , , , , , ,

Os perigos de vínculo de imagem: O tribunal da internet

Os perigos de vínculo de imagem: O tribunal da internet

Cada vez mais a internet tem se popularizado. Em todos os lugares vemos pessoas com seus smartphones, tablets e notebooks, lendo e até mesmo produzindo informação. Mas, será que isso influencia o ambiente empresarial? Henrique Piovezan, explica um pouco como a internet pode intervir na imagem de sua empresa.

 

Antes de falarmos sobre imagem empresarial e a influência da internet é importante primeiramente entender sobre o termo imagem. O termo Imagem vem do latim imāgo que se refere à figura, representação, semelhança ou aparência de algo. Por exemplo: “Esta imagem representa a queda do muro de Berlin”, “Esta imagem representa o meu pai”, “Preciso de uma imagem para ilustrar a minha ideia”.

Ou seja, imagem é a representação visual de um objeto por meio de técnicas da fotografia, pintura, do desenho, do vídeo ou de outras áreas. No mundo corporativo, imagem é o conjunto de qualidades que os consumidores atribuem a uma empresa. Por outras palavras, é aquilo que a empresa significa/representa para a sociedade. Isto é, a forma de associação que o seu público pode ter com a sua organização.

 

Mas, como isso se relaciona com a internet?

Hoje, no mundo, existem quase três bilhões de usuários de internet, de acordo com União Internacional de Telecomunicações (UIT). Com o surgimento das redes sociais e a interação dos consumidores por meio desses canais, as corporações estão sendo obrigadas a se adaptarem a esse novo universo.

Isto é, atualmente os consumidores tem poderes de opinar, escolher e decidir o que comprar, elogiar e criticar em função da percepção da marca como fator de transformação social.

Com isso, fica mais fácil do cliente colocar sua percepção quando não se sentir satisfeito com a marca e essa informação se espalhar rapidamente pela rede. E assim, alterar a imagem que seu público tem da sua empresa.

Já pensou um cliente vai até a sua loja e colocar toda a sua percepção na rede? Como ela está hoje o cliente falaria bem ou mal?

Com isso, é de extrema importância que sua organização, independentemente do porte, esteja com seu discurso alinhado para se situações venham atrapalhar a imagem de sua empresa.

Por esse motivo esteja sempre atento ao atendimento que seus funcionários dão aos seus clientes; o que seu público está falando da sua organização nas redes; como seus concorrentes estão presentes nas redes e principalmente se afasta das notícias sensacionalistas – com o avanço da internet as informações podem aparecer de maneira distorcida.

Gostou do artigo? Continue acompanhando a nossa página para receber mais conteúdo relevante para você e sua empresa!

 

E você? Gostou do artigo? Se interessa por esse tema?

Continue acompanhando a nossa página!

Gostou do artigo? Continue acompanhando a nossa página que sempre estamos compartilhando conteúdos pertinentes para a sua vida profissional!

#MeepeNetworking #networkingbauru #meepe #rededecontatos #empresários #redes #redessociais #estratégias #empreendedorismo #negócios #startup #inovação

Entre em contato
e saiba como participar da Meepe Networking
contato@meepe.com.br

Entre em contato
e saiba como participar da Meepe Networking
contato@meepe.com.br ou preencha abaixo:

no responses
20/07/17 Dicas e Guias , Palestras , Palestras Convidados # , , , , , , , ,

Como criar uma Startup em 54 horas (e ter uma experiência incrível)

Como criar uma Startup em 54 horas (e ter uma experiência incrível)

Startup

Tem uma ideia nova e gostaria de colocá-la em prática? Com o intuito de instigar o espírito empreendedor das pessoas, a Startup Weekend é a melhor opção para quem deseja tirar suas ideias do papel e tornar real em um final de semana.

 

O que é?

Startup Weekend é um evento que acontece em um final de semana e que tem como objetivo dar um incentivo para quem quer iniciar uma startup (sair com uma empresa).

 

Perfis ao se inscrever

Ao se inscrever, você escolhe o seu perfil:

  • Desenvolvedor: pessoas com conhecimentos técnicos em programação e construção de sites e aplicações;
  • Designer: quem manja (manja? Num sei se encaixa aqui essa palavra) de layout, ficará responsável pela identidade visual e ações que envolvem design gráfico;
  • Empreendedor (não técnico): quem entende mais de negócios, geralmente fica responsável por ir à rua para falar com os clientes e pensar o modelo de negócios com mais afinco.

 

Como funciona?

 

SEXTA-FEIRA

O evento começa no final da tarde de sexta-feira. No primeiro momento, tem-se o credenciamento e logo após começa uma palestra relacionada à temática das startups. Depois da palestra, as pessoas têm 60 segundos para apresentá-la (é o famoso pitch). Depois, cada participante vota nas ideias que mais se identificou.

As ideias mais votadas são selecionadas para serem trabalhadas durante o final de semana e, durante o jantar. Os participantes se organizam em grupos, sendo que cada grupo representa uma das ideias selecionadas;

 

BADO

No sábado as atividades se iniciam às 8h ou 9h. Os grupos começam a transformar o que era uma idéia em um negócio que faça sentido. Geralmente no final da manhã acontece uma palestra sobre modelo de negócio e business model canvas, para a turma ter uma base mais sólida para o trabalho que farão no resto do final de semana.

Após o almoço, as equipes começam o contato com o grupo de mentores. Os organizadores do evento selecionam um grupo de mentores de acordo com o perfil do evento, e essa turma se reveza passando de grupo em grupo para ajudar os integrantes a desenvolverem o seu modelo de negócio. No restante do dia, as equipes começam as atividades para que a ideia saia do papel.

 

DOMINGO

No último dia do evento, os participantes se reúnem e as atividades seguem até o final da manhã, quando acontece uma palestra sobre pitch para os grupos começarem a preparar a sua apresentação final.

Após o almoço a montagem e treinamento das apresentações se intensifica, e os representes de cada grupo ganham alguns minutos com alguns mentores para treinar e receber feedback sobre a sua apresentação.

Geralmente no fim, os grupos devem entregar as apresentações e, logo após, começam as apresentações finais. Cada grupo tem de 3 a 5 minutos para apresentar a sua startup. Os vencedores ganham prêmios oferecidos pelos patrocinadores e apoiadores do evento, além da exposição da mídia, o que facilita que a ideia saia do papel.

 

 

E você? Gostou do artigo? Se interessa por esse tema?

Continue acompanhando a nossa página!

Gostou do artigo? Continue acompanhando a nossa página que sempre estamos compartilhando conteúdos pertinentes para a sua vida profissional!

#MeepeNetworking #networkingbauru #meepe #rededecontatos #empresários #redes #redessociais #estratégias #empreendedorismo #negócios #startup #inovação

Entre em contato
e saiba como participar da Meepe Networking
contato@meepe.com.br

Entre em contato
e saiba como participar da Meepe Networking
contato@meepe.com.br ou preencha abaixo:

no responses