19/03/18 Dicas e Guias # , , , ,

Aprenda a gerenciar melhor o seu tempo e seja mais produtivo!

Aprenda a gerenciar melhor o seu tempo e seja mais produtivo!

Quantas vezes você já foi interrompido quando estava fazendo alguma tarefa em seu ambiente de trabalho? Provavelmente uma centena de vezes, não é mesmo? Você já parou para pensar que esse tipo de situação atrapalha totalmente o planejamento que você fez para o seu dia? Em nosso artigo vamos falar sobre uma pesquisa realizada por uma professora da University of Califórnia de Irvine, que apresenta como as distrações e interrupções nos atrapalham diariamente. Continue lendo o nosso artigo para saber mais!

Você está concentrado e o seu colega te chama para checar uma informação? Parece que depois demora um certo tempo para a concentração voltar. De acordo com a professora Gloria Mark, especialista em efeitos de distrações e interrupções no escritório, a jornada de trabalho tem mais a ver com minutos do que com horas.

Como assim? Isso mesmo! A nossa jornada de trabalho tem mais a ver com minutos do que horas! Geralmente pensamos em nossa rotina como dias trabalhados. Mas, segundo a especialista o que impacta a nossa produtividade são os minutos trabalhados (sendo mais específico, os minutos seguidos que trabalhamos).

Em uma entrevista para a Gallup, Gloria afirma que após observar e literalmente cronometrar as rotinas de diversos funcionários, descobriu que o tempo médio que as pessoas passam fazendo algo antes de uma interrupção é de apenas três minutos e 5 segundos. Ou seja, em muitos ambientes, esse é o máximo de tempo que as pessoas permanecem concentradas em algo (EXAME).

Ao ler essa informação, você pode confundir as pausas (ou “breaks”) com distrações. No entanto, são coisas distintas. Para a pesquisadora, as distrações ou interrupções pegam as pessoas de forma desprevenida, tirando-as inteiramente do foco da atividade. Diferente das pausas que são focadas e planejadas.

 

“As distrações podem ser dos mais diferentes tipos e não se restringem as causas de fatores externos, como e-mails constantes, telefonemas e colegas de trabalho que chegam na sua mesa com “perguntas rápidas” que levam toda a manhã (GLORIA MARK).

 

 Para a especialista, em 44% das vezes a interrupção vem do próprio indivíduo. Por exemplo, “você acha que fica na frente do computador por muito tempo, mas não é verdade. Normalmente está ali brevemente antes de fazer outra coisa.”, afirma.

 

Mas, por que isso acontece?

Gloria afirma que isso está relacionado com a teoria da gratificação instantânea, em que as pessoas têm uma dificuldade natural em adiar as coisas que dão prazer imediato. “Mas se a razão para isso ainda não é clara, o custo das interrupções é: a troca incessante de tópicos causa estresse e atrasa (ou impede) a realização de tarefas que poderiam ser muito mais rápidas”, explica.

Ainda de acordo com a pesquisa, são cerca de 25 minutos para voltarmos a nossa atenção para alguma atividade, depois de termos parado. Ressaltando que a tarefa de se concentrar novamente na atividade que estávamos fazendo exige um esforço cognitivo (o que gera estresse), fora o “trabalho invisível” – aquele que seus colegas não veem, como trabalhar fora do expediente ou durante o fim de semana para manter-se em dia com as demandas.

 

Como posso melhorar isso?

Para a pesquisadora a melhor maneira é ter:

Autoconhecimento

A dica é simples, para evitar as distrações é importante sabermos como lidamos em nosso espaço de trabalho. Pense em qual local você se distrai menos, em qual local você irá mexer menos nos eletroeletrônicos etc. Em qual ambiente você costuma ser mais produtivo e coloca limite no uso de internet, conversas paralelas etc. Dessa forma você saberá qual a melhor maneira para se distrair menos e produzir mais em seu dia.

Se você tem problemas com distrações no seu ambiente de trabalho, esperamos que esse artigo tenha sido útil para você! Toda semana trazemos um conteúdo do mundo dos negócios! E o melhor: discutimos em nossas reuniões! Quer saber como funciona?  Entre em contato conosco!

Entre em contato e conheça mais do nosso grupo!

contato@meepe.com.br

Posts recentes

Entre em contato e saiba como participar da Meepe Networking contato@meepe.com.br ou preencha abaixo:

no responses
27/11/17 Dicas e Guias # , ,

Meepe Together: crescimento rápido é em conjunto!

Meepe Together: crescimento rápido é em conjunto!

Conheça a nova estratégia do nosso grupo de networking!

Já pensou viver em um cenário igual ao do Shark Tank Brasil? Aquele reality show que une um grupo de grandes empresários e indivíduos com ideias de investimentos que conta com a presença do empresário da Polishop João Appolinário , Robinson Shiba proprietário da rede de comida chinesa China in Box e Camila Farani- principais nomes do investimento anjo no Brasil. Agora em Bauru, esse tipo de experiência é possível! O Meepe apresenta o grupo Together!

No dia 28 de novembro, inauguramos mais um grupo – Meepe Together. Com o intuito de diminuir os custos na aquisição e desenvolvimento de projetos a partir do investimento compartilhado. Os segmentos para os investimentos podem variar. Ou seja, podem ser a construção de residências e ou empreendimentos, a idealização e concretização de startups, a importação de produtos para revender, entre outros.  

Mas como funcionará?

O valor de investimento necessário será dividido em cotas, elas representarão a porcentagem de participação no negócio. Assim, cada um que investiu terá uma parcela de retorno do investimento. Para que os participantes tenham toda a segurança, o grupo conta com assessoria jurídica e fiscal – contador e advogado para resguardar todos os envolvidos.

 Quem pode participar?

Para fazer parte, basta ser integrante de um dos grupos do Meepe Networking, que realiza as reuniões de quarta e sexta-feira. Todos podem sugerir e apresentar oportunidades de negócios e fazer parte do projeto proposto. Pessoas que não pertencem ao grupo de networking também podem ser convidadas a apresentar suas ideias. As reuniões acontecem todas as terças-feiras do mês às 19h, no espaço Zuplex.

Viu como grandes investimentos podem ser feitos na vida real? Essa é a proposta do Meepe Together – crescer em conjunto. Sabemos que investir sozinho não é fácil! Então junte-se a nós e venha fazer o seu investimento alavancar!

Quer saber mais? Continue navegando pela nossa página.

Entre em contato e conheça mais do nosso grupo!

contato@meepe.com.br

Posts recentes

Entre em contato e saiba como participar da Meepe Networking contato@meepe.com.br ou preencha abaixo:

no responses
06/11/17 Dicas e Guias # , , , ,

Você sabe o que é MEI?

Você sabe o que é MEI?

O número de MEI cresceu em Bauru nos últimos anos!

Bauru está entre os três municípios do Estado de São Paulo que mais possuem MEI cadastrados. Perdendo apenas para São José do Rio Preto que lidera o ranking neste ano.

Com o cenário econômico desfavorável no país, o número de empregos no mercado de trabalho diminuiu e muitos brasileiros precisaram buscar outras fontes de renda, o que gerou mais de 7,5 milhões de formalizações de MEI nos últimos nove anos. Esses profissionais junto à micro e pequenas empresas somam 27% de participação do PIB brasileiro.

 

O que é um MEI? E como faço para me tornar um?

MEI significa Microempreendedor Individual. Para se tornar MEI é preciso faturar até R$ 60.000,00 por ano ou R$ 5.000,00 por mês, não ter participação em outra empresa como sócio ou titular e ter no máximo um empregado contratado que receba o salário mínimo ou piso da categoria. Esse profissional será enquadrado no Simples Nacional e ficará isento dos atributos federais (Impostos de Renda, PIS, Cofins, IPI e CSLL).

 

Confira o infográfico abaixo sobre o perfil do MEI:

MEI

MEI

Fonte: SEBRAE (http://www.sebraepr.com.br/PortalSebrae/sebraeaz/Microempreendedor-Individual)

Deseja se tornar um MEI e legalizar o seu negócio? Acesse o site do Sebrae e saiba mais clicando aqui.

 

Direitos e deveres

Existem benefícios os quais o MEI tem direito quando formalizado, como benefícios previdenciários, auxílio-maternidade, auxílio-doença, aposentadoria e outros. Também tem o direito ao CNPJ, acesso facilitado à empréstimos e abertura de contas bancárias e emissão de nota fiscal.

No entanto, existem alguns deveres a serem cumpridos, como o pagamento mensal de uma taxa. Para comércio ou indústria o valor cobrado é de R$ 45,00, para prestação de serviços são cobrados R$ 49,00 e para comércio e serviços o valor é de R$ 50,00. O cálculo corresponde a 5% do salário mínimo, a título da contribuição para a seguridade social, mais R$ 1,00 de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e/ou R$ 5,00 de Imposto sobre Serviços (ISS).

 

Clique aqui para saber mais sobre os direitos e deveres desta categoria

 

De acordo com um levantamento realizado pelo Sebrae, Bauru é o segundo município com maior número de trabalhadores cadastrados como mircroempreendedores individuais, com cerca de 20 mil cadastros. O município também já sediou a Semana do MEI realizada pelo Sebrae-SP, com serviços e orientações.

Houve um crescimento de 228% entre 2012 e 2017 de registros na cidade, segundo a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Renda (SEDECON). Tendo como principais profissionais se formalizando os cabeleireiros, que são mais de 1.700 empreendedores, seguidos pelos ramos de vestuário, obras de alvenaria, pintor e eletricista.

Porém, o segmento de construção civil, que também aparece como destaque no ranking, é o que tem formalizado profissionais em ritmo mais acelerado, conforme a titular da SEDECON.

 

Conheça Guel Nicolai, empresária que fez sucesso em Bauru, clicando aqui.

 

Microempreendedores de Bauru

Conheça alguns Microempreendedores individuais de Bauru e como a formalização ajudou em seus negócios.

 

“O cadastro foi simples porque tem vários contadores cadastrados que fazem de graça e isso facilita demais a formalização. Vantagens são muitas, ter o CNPJ abre as portas para atender empresas grandes e de médio porte, com isso aumentando as vendas.”
Bruno – Bauru Cartões

 

“Para o meu trabalho foi essencial essa regularização, me abriu portas para prestar serviços para outras empresas, com mais credibilidade e confiança!”
Maria Fernanda – Buffet Sano Sapore

 

Ao empreender deve-se lembrar que ao fazer negócios você não se relaciona com empresas, mas sim com pessoas! Diante disso, é essencial criar um relacionamento e uma rede de contatos que seja capaz de ajudar a expandir o seu negócio.

Conhece o Meepe Networking?

O Meepe é um grupo de networking, onde existe a oportunidade de conhecer as pessoas por trás das empresas, que têm o mesmo objetivo que o seu e que buscam uma verdadeira troca de indicações. O Meepe cria negócios por meio de relacionamento entre empresários e autônomos, conectando pessoas!

Quer saber mais? Continue navegando pela nossa página.

Entre em contato
e saiba como participar da Meepe Networking
contato@meepe.com.br

Posts recentes

Entre em contato
e saiba como participar da Meepe Networking
contato@meepe.com.br ou preencha abaixo:

no responses
30/10/17 Dicas e Guias # , , , ,

Previdência Privada

Previdência Privada

artigo meepe previdência privada

A previdência privada é um investimento de longo prazo que não está ligada ao sistema do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Na qual você contribui com uma quantia em dinheiro por um determinado período e esse valor passa a render juros sobre o capital investido.

As reformas na previdência social deixam cada vez mais distante da maioria da população brasileira o sonho de aposentadoria. De estabilidade financeira na velhice. Faz-se necessário um plano de complemento da previdência. Por isso, trouxemos nesse artigo informações importantes sobre o plano de previdência privada. Trata-se de uma reserva financeira que pode ser retirada na aposentadoria, mensalmente ou de uma só vez, para realizar um projeto. Mas será que vale a pena investir no plano privado? Especialistas no mercado financeiro divergem sobre o investimento no setor privado de previdência. O que muito se tem falado entre os profissionais é sobre a dependência do INSS. Como o brasileiro, hoje, precisa de um complemento em sua renda a longo prazo. Veja algumas razões para aderir ao plano de previdência privada

1 – Garantir a qualidade de vida na terceira idade

Conforme o avanço da idade, algumas despesas adicionais se tornam prioridade. Ao mesmo tempo que passam a ter um custo maior no orçamento, como por exemplo, medicamentos e planos de saúde. Mensalidades altas para idosos.

2 – Diversificar os investimentos

A aplicação em caderneta de poupança serve como uma reserva de emergência. Assim como a previdência privada, como investimento a longo prazo. Ou seja, é possível manter ambos os planos de investimento para que os riscos sejam diluídos. O que inúmeros especialistas em finanças pessoais recomendam.

3 – Investindo com especialistas no mercado

Aplicar dinheiro pode ser algo difícil para muitas pessoas, mas, não é por isso que deve-se deixar de investir. Por isso um plano de previdência privada é uma solução. Os recursos são administrados por profissionais especializados no mercado financeiro tornando a aplicação mais segura e menos suscetível a erros e perdas.

4 – Família protegida em caso de fatalidade

Este tipo de investimento não entra para o inventário de transmissão de recursos para herdeiros. O que torna a liberação muito rápida e sem burocracia excessiva, tornando o processo judicial menos árduo.

Confira no vídeo abaixo as vantagens de investir na Previdência Privada:

Existem dois tipos de previdência privada, são eles: Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) – indicado para quem faz declaração completa do imposto de renda. As contribuições são dedutíveis até o limite de 12% da renda bruta tributável anual. Os ganhos financeiros não são tributados durante a fase de acumulação. Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL) – diferencia-se do anterior por ser um seguro de vida com cobertura de sobrevivência e é indicado para quem não precisa optar pela dedução fiscal. Entretanto, para compensar a ausência dessa vantagem, a tributação é feita apenas sobre os rendimentos. Os ganhos financeiros também não são tributados durante a fase de acumulação. Além de escolher entre PGBL e VGBL, deve-se optar por dois modelos de tributação, o progressivo ou o regressivo. No primeiro, as alíquotas aumentam conforme o valor investido; já no segundo, as alíquotas são reduzidas na proporção do tempo de investimento.   Como escolher entre progressivo ou regressivo? Confira o vídeo do Canal EconoMirna abaixo:

Em geral os bancos e seguradoras costumam cobrar taxas em um plano de previdência privada, sendo: Taxa de Carregamento – Comete-se sobre as contribuições realizadas variando de 0 a 3% . Um exemplo disso é se você aplicar R$1.000,00 e a taxa de carregamento é de 2%, haverá um desconto de R$20,00 e o total aplicado será de R$980,00.   Taxa de Administração – Trata do custo da gestão dos ativos, que incide sobre a rentabilidade total da aplicação. O valor costuma variar entre 1,5% e 3% ao ano e é a de maior impacto na aplicação, opte sempre pelo plano de menor taxa.   Taxa de Saída – cobrada ao resgatar o valor de aplicação antecipadamente, entretanto a maioria das seguradoras fazem essa cobrança apenas nos primeiros anos. Mas existem aquelas que impõe prazos de carência para resgates e transferências externas parciais ou totais.   Confira o vídeo Os Três Piores Erros ao Contratar uma Previdência Privada e saiba como evitá-los:

Conhece o Meepe Networking? O Meepe Business Networking tem o propósito de aproximar e criar negócios por meio de relacionamento entre os empresários. Venha fazer parte desta rede e fortalecer os seus negócios! Meepe Conectando Pessoas e Negócios.

Gostou do artigo? Continue navegando em nossa página para mais informações!

Entre em contato e saiba como participar da Meepe Networking contato@meepe.com.br

Posts recentes

Entre em contato e saiba como participar da Meepe Networking contato@meepe.com.br ou preencha abaixo:

no responses
16/10/17 Startup # , , , , , ,

Startup: Por Onde Começar?

Startup: Por Onde Começar?

Startup: Por Onde Começar?

É comum ouvirmos o termo "startup" atualmente no mundo empresarial, mas existem, no entanto, algumas divergências em relação à definição exata deste conceito.

Há especialistas que afirmam que qualquer companhia iniciante no mercado se encaixa nesta modalidade. Enquanto outros dizem que é preciso ter sido fundada com custos baixos e ter crescimento acelerado com uma grande lucratividade.

De acordo com especialistas em startups existe uma definição de Steve Blank que é mais atual e que parece satisfazer o mercado.

 

Uma empresa é considerada uma startup quando ainda está em busca de um modelo de negócios viável. Que seja repetível e escalável.

 

*Ser repetível: significa ser capaz de vender o mesmo produto para todos os clientes com potencialidade ilimitada. Sem muitas adaptações ou customizações. Como, por exemplo, o modelo pay-per-view que vende o mesmo filme a qualquer um que queira pagar por ele sem influenciar na disponibilidade do produto.

 

*Ser escalável: consiste em crescer em receita significativamente. Sem influenciar no modelo de negócios e com custos crescendo mais lentamente acumulando lucros.

Mas por onde começar?

Atualmente, mais brasileiros tem se interessado por ter o próprio negócio. Buscar por soluções que auxiliem a alcançar este sonho. Existem no país pessoas com ideias inovadoras e pouco capital de investimento, que acabam por desistir do seu negócio por não saberem como levar o projeto adiante.

 

Veja os três passos importantes para o desenvolvimento de uma startup

1 – Ideação

Como em qualquer projeto, tudo começa com uma boa ideia. Nessa fase, conversar com diferentes pessoas, trocar informações e participar de eventos nos ajuda a saber se estamos no caminho certo. Não busque fazer só “o que está dando certo no mercado”. Procure avaliar bem suas competências, habilidades, talentos e paixões, pois o que mais conta é sua capacidade de execução do projeto.

 

Participar de grandes eventos sobre startup garantem um maior conhecimento do assunto. Confira o artigo e saiba mais sobre o Startup Weekend.

 

Antes de dar os próximos passos na construção e implementação da ideia certifique-se com os clientes reais, “saia do prédio” para conversar com eles e aprender mais sobre a fatia de mercado que pretende alcançar. Isso poupará tempo e dinheiro nas próximas etapas do projeto.

De forma geral, uma boa startup precisa basicamente de quatro competências bem definidas. Gestão, tecnologia, operações e vendas. No entanto, é pouco provável que apenas uma pessoa  exerça todas as funções simultaneamente, por isso, busque formar uma equipe qualificada que te ajudará a complementar suas habilidades.

2 – Operação

Para a segunda etapa do projeto é importante ter um acordo de sócios. Uma das principais causas de falhas em startups está no desentendimento entre sócios.  Mariana Vasconcelos, CEO da Agrosmart, aconselha elaborar dois contratos, um deles sendo oficial onde deve estar claro quais os direitos e deveres de cada sócio, as regras de saída da empresa, entre outros. O outro contrato é um informal, para conhecer um ao outro, quais as expectativas, as crenças e os limites de cada um.

Um dos principais desafios de uma startup em fase inicial é encontrar um modelo de negócios funcional para o projeto. Esse modelo é formado por um conjunto de elementos, como proposta de valor, clientes, parceiros, atividades, recursos, fontes de receita e estrutura de custo. Para encontrá-lo é necessário realizar diversos testes a partir de pesquisas preliminares, pré-venda, ofertas não automatizadas, dentre outras formas.

Conheça suas métricas, compreenda quais as mais importantes para o seu negócio e utilize-as como direcionador para ajustar e otimizar seu modelo de negócio. Entretanto, cada tipo de negócio possui uma métrica mais adequada. Como por exemplo, em e-commerces, a taxa de conversão de visitantes em compradores, por canal de marketing utilizado, bem como seus respectivos custos de aquisição.

Após escolher o melhor modelo de negócio, é importante considerar que pode ser necessário algum investimento ao longo da vida da startup, pois permite aceleração maior da empresa . Assim como selecionar investidores que ofereçam, além do capital investido, “know-how” para ajudar no negócio.

3 – Tração

Construa uma cultura e valorize sua equipe. Um dos pontos mais importantes de uma startup em fase de crescimento é a manutenção de sua cultura. Que é capaz de atrair profissionais não apenas por dinheiro, mas por um propósito em comum.

Após ter delimitado o modelo de negócio adequado para sua startup e definido a cultura da organização, não tenha medo de expandir seu projeto. O CEO da Pipefy Alessio Alionço afirmou que a marca já nasceu global desde o primeiro dia e que isso permitiu atingir um número de usuários em um mercado muito maior e acessar recursos também em nível global.

 

Conheça a startup que surgiu em Bauru com objetivo de melhorar as condições de saúde da população no nosso artigo.

 

Lembre-se,  o objetivo de uma startup é deixar de ser uma startup. Possuir uma rede de contatos ativa que possibilita trocar informações e experiências com profissionais do mercado. O Meepe Business Networking tem o propósito de aproximar e criar negócios por meio de relacionamento entre os empresários. Venha fazer parte desta rede e fortalecer os seus negócios! Meepe Conectando Pessoas e Negócios.

Gostou do artigo? Continue acompanhando a nossa página que sempre estamos compartilhando conteúdos pertinentes para a sua vida profissional!

Entre em contato
e saiba como participar da Meepe Networking
contato@meepe.com.br

Posts recentes

Entre em contato
e saiba como participar da Meepe Networking
contato@meepe.com.br ou preencha abaixo:

no responses